Vibradores recolhiam informações privadas de seus usuários


A empresa de brinquedos sexuais canadense "We-Vibe" concordou em pagar 23.544 reais para cada comprador que adquiriu um dos seus "vibradores smart". O aparelho enviava informações sobre o uso pessoal de cada um dos usuários para a empresa sem o consentimento deles. Além disso, era possível hackear o brinquedo e tomar seu controle.

O "We-Vibe" é um vibrador conectado via bluetooth, controlado por aplicativo de celular. Os usuários podem escolher os módulos de vibração de forma remota, permitindo a casais distantes interagirem sexualmente entre si, mesmo à distância.

Comentários