Músicos de banda iraniana podem ser executados por tocar Metal


Dois integrantes da banda iraniana Confess foram presos em novembro do ano passado, aparentemente por cometes atos infames, sendo um deles tocar “metal satânico”, e podem vir a ser executados por blasfêmia, informou a Metal Nation Radio, que divulgou uma carta recebida de uma pessoa ligada à banda, que teve sua identidade preservada por motivos de segurança.

A carta relata que Siyanor e DJ Chemical, 23 e 21 anos, respectivamente, foram presos pelo Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica (“Army of Guardians of the Islamic Revolution”) em 10 de novembro de 2015, sob acusação de blasfêmia; pregar contra o sistema; formar e conduzir um selo ilegal e clandestino de rock e metal satânico; compor letras anti-religião, ateístas, anárquicas e politicamente indevidas; e ser entrevistados por rádios proibidas.

Ambos estariam em confinamento na solitária e foram mantidos isolados até o dia 5 de fevereiro, quando pagaram uma fiança estimada em cerca de 30 mil dólares. Todos os emails e páginas de relacionamento sociais foram confiscados pelo governo. De fato, a última postagem feita no facebook é datada do dia 5 de novembro.

O autor da carta espera que sua divulgação chame atenção da mídia internacional e isto possa vir a ajudar os dois músicos. No Irã, a lei prevê que blasfêmia possa ser objeto de detenção prolongada, tortura e até execução.

Comentários