Arqueólogos estão perto de encontrar uma câmara secreta na tumba de Tutancâmon


Vivemos um momento muito empolgante e promissor para a comunidade arqueológica. Até pouquíssimo tempo atrás, acreditava-se que a maior descoberta do campo ao longo do último século havia sido a tumba de Tutancâmon, encontrada intacta no Vale dos Reis, no Egito, em 1922.

Mas ao longo dos últimos anos, o método de trabalho e as teorias do especialista em história egípcia Nicholas Reeves tem ficado em evidência. Ele sugere que descobertas arqueológicas ainda mais importantes em relação à família do jovem faraó podem ocorrer em breve. 

Analisando imagens da tumba de Tutancâmon, Reeves percebeu a existência de duas câmaras, e acredita que em uma delas se encontra a múmia da rainha Nefertiti. A partir dessa teoria, o historiador, em parceria com as autoridades do Egito, deu início a um projeto no qual radares e equipamentos termográficos seriam utilizados para escanear os interiores de quatro pirâmides. 

Segundo o site Ancient Origins, a primeira sessão de escaneamento do interior da tumba de Tutancâmon foi realizada na última quarta-feira (4) e foi encontrada uma área que emite bastante calor, o que pode indicar o caminho para uma câmara secreta. Essa evidência aumenta a possibilidade de que o aposento contenha o corpo de Nefertiti, bem como alguns de seus tesouros.

O faraó faleceu durante a adolescência, em 1332 a.C. Reeves acredita que a tumba do jovem ainda não estava pronta no momento de sua morte. Com isso, ele teria sido enterrado na tumba de Nefertiti.

"Se isso for verdade, estamos encarando uma descoberta ainda mais importante do que a da tumba de Tutancâmon", disse Mamdouh al-Damaty, ministro de antiguidades do Egito, em entrevista à Reuters.

Comentários