Aparelho inovador promete preparar pratos complexos em até 1 minuto


Por que continuar comendo mal ou perdendo tempo demais na cozinha quando uma inovadora máquina, recém-lançada no mercado, personaliza cada alimento de acordo com o gosto e as necessidades de cada pessoa e, além disso, os prepara em apenas um minuto, inclusive os pratos mais elaborados?

Uma empresa de tecnologia israelense começou a comercializar o aparelho que cozinha de forma praticamente instantânea todos os tipos de pratos, com características individualizadas: sem glúten para os celíacos, sem açúcar para os diabéticos, com menos calorias para quem está acima do peso, etc.

A máquina, que é pouco maior que uma caixa de sapatos e que custa cerca de 500 euros (R$ 1.945), recebeu o nome de Genie. Ela acaba de ser lançada nos mercados israelense e australiano, inicialmente apenas para cafeterias e centros de trabalho, contou à Agência Efe o fundador da empresa, Doron Marco.

A tecnologia funciona a partir de uma cápsula do tamanho de uma xícara que é colocada no dispositivo. Ela contém os ingredientes do prato desidratados por frio, para que se mantenham frescos durante anos, sem nenhum tipo de conservantes ou produtos químicos.

A técnica de conservação através da extração prévia da água contida nos alimentos, acrescentada depois na hora de fazer o prato, garante a manutenção das propriedades naturais dos produtos, assim como sua forma e aroma. Ela também é utilizada em outros setores, como na indústria farmacêutica.

As proporções de desidratação de cada um dos alimentos incorporados na cápsula e as quantidades exatas de ingredientes são calculadas a partir de um complexo algoritmo.

O aparelho de tecnologia israelense lembra o chamado "forno reidratador" mostrado no filme "De Volta para o Futuro". No longa-metragem, o personagem Martin McFly, interpretado por Michael J. Fox, viaja 30 anos para o futuro, de 1985 para 2015, e come uma pizza feita na máquina fictícia. Ela fica pronta em apenas dois segundos e cresce até ficar em um tamanho real.

A Genie reconhece instantaneamente os alimentos. Assim que eles são introduzidos na máquina, ela reconhece e acrescenta as quantidades de líquido necessárias para que o prato fique pronto.

O preço das cápsulas é similar ao custo de preparar o prato a partir dos ingredientes em estado convencional, segundo Marco.

Um dos objetivos da tecnologia é se popularizar, sendo reconhecida como uma nova forma de alimentação, muito mais saudável e que respeita o meio ambiente e a distribuição de alimentos no mundo.

"Não é concebível que, enquanto muita gente esbanja comida em certas regiões deixando que ela apodreça nas geladeiras, milhões de pessoas no terceiro mundo sigam passando fome", lamentou Marco.

A Genie também permite conservar os alimentos e comê-los em qualquer momento, sem risco de perderem a validade, o que evita jogar no lixo muitos ingredientes em condições ruins.

Para o fundador da tecnologia, o uso ideal da nova máquina pode ser feito não só em ambientes domésticos, mas também em hospitais, onde cada paciente precisa de alimentos diferentes. Ela também pode ser utilizada em escolas e em projetos de cooperação e ajuda a países pobres ou afetados por crises como guerras ou desastres.

Marco está convencido que esse tipo de alimentação "revolucionará a indústria". Do ponto de vista ambiental, a Genie evita grande parte do tráfego diário de caminhões com comida fresca aos supermercados e, portanto, contribui para reduzir emissões de gases poluentes na atmosfera.

A chegada da Genie à Europa deve ocorrer em breve. Marco aguarda a conclusão dos processos de tramitação legislativa exigidos pelas autoridades. No entanto, ele já negocia com possíveis sócios para a comercialização do aparelho no novo mercado.

Comentários